A importância da tecnologia na vida dos longevos

Durante a Maratona Digital da Longevidade Expo+Fórum 2021, o III Congresso Unimed de Longevidade proporciona o debate sobre o uso de tecnologias pelo público 50+ 

Como parte da Maratona Digital da Longevidade Expo+Fórum, maior evento direcionado ao segmento 50+ do país, a Unimed Seguros trouxe ao debate a inclusão tecnológica dos longevos no III Congresso Unimed de Longevidade, evento oficial do maior encontro digital direcionado às pessoas 50+ no Brasil. 

Com a tradicional mediação do ator e diretor de teatro, Odilon Wagner, o painel foi composto pelo colunista da Folha de São Paulo e apresentador do Expresso Futuro, Ronaldo Lemos, e o fundador e CEO da Sambatech, Gustavo Caetano.

Wagner abriu a conversa apontando a presença das tecnologias na vida dos longevos e a inquietação que este contato traz. “Hoje, com o smartphone, temos todos os canais necessários para nos comunicarmos com o mundo em questão de segundos e a pergunta que fica é: será que eu posso? Será que eu consigo? “, provocou o ator.

Na opinião do colunista da Folha de São Paulo e apresentador do Expresso Futuro, os longevos devem se desfazer da ideia que tecnologia é complicada: “O fax, o videocassete, eram muito mais difíceis de usar do que as tecnologias que temos hoje. Hoje a tecnologia é mais amigável, mais usual. É muito mais fácil mandar uma mensagem por Whatsapp do que enviar um fax. A gente precisa superar esse medo que nos faz acreditar que a tecnologia é difícil. Atualmente, os equipamentos possuem recursos que facilitam a nossa vida, como o uso da voz. A tecnologia está ficando mais humana e mais fácil de usar”, apontou.

O fundador e CEO da Sambatech, plataforma de educação à distância para empresas e organizações lembrou que, muitas vezes, nem percebemos a inovação tecnológica nos equipamentos.

É cada vez mais frequente identificar tecnologia embarcada em coisas que a gente não esperava. Televisores e geladeiras inteligentes, cafeteiras e lava roupas com recursos cada vez mais sofisticados de programação ou ainda a tecnologia que permite acender e apagar as luzes apenas com um comando de voz são apenas alguns exemplos. Cada vez mais, a tecnologia faz parte da nossa vida sem que a gente note que ela existe”, explicou Gustavo Caetano.

Para que o público sênior interaja melhor com a tecnologia é preciso, antes de tudo, usá-la. Para encorajar os espectadores, o apresentador do Expresso Futuro deu dicas de como perder o medo do novo. “Mergulhe de cabeça, não tenha medo. Compre uma tecnologia que te interesse e experimente. Aos poucos se aprende a utilizá-la. É muito importante manter viva a curiosidade. O custo da experimentação não é um custo proibitivo; há tecnologias acessíveis”.

 

Atenção aos riscos

Caetano ponderou que os usuários seniores devem estar atentos aos riscos de golpes. “É preciso ter cuidado para não cair em armadilhas. Desconfie das coisas que saiam do padrão, como pedidos de dinheiro, pagamentos ou mesmo orientações para clicar em determinado link. Toda atenção é pouca”, alerta Caetano.

Lemos dá sugestões: “na dúvida, pergunte. Quando tenho dificuldade com algum aplicativo ou ferramenta, peço ajuda, e isso não é problema. É assim que a gente estreita relações, oferecendo e pedindo ajuda. A tecnologia é uma excelente desculpa para entrar em contato com as pessoas”, sugeriu.

Quer assistir à íntegra do painel e saber mais sobre como incorporar de forma fácil a tecnologia da sua vida? Clique aqui.