ALCIONE 73+, A ALEGRIA DA “MARROM” NA VOLTA AOS PALCOS

ALCIONE 73+, A ALEGRIA DA “MARROM” NA VOLTA AOS PALCOS

 

Redação e edição
Analu Oliveira – 79+
www.longevidade.com.br

 

A maranhense Alcione, 45 anos de carreira

É neste sábado, 11 de setembro, que Alcione volta a cantar ao vivo com aquele vozeirão inigualável. E será no Tom Brasil, em São Paulo,  com o show “Tijolo por Tijolo”, depois de longos dois anos sem se apresentar. A grande “Marrom” que nunca tirou férias na vida, passou esses meses todos de pandemia confinada em casa, já está vacinada e não vê a hora de subir ao palco.

Alcione, ao vacinar-se, desejou:

Que essas gotas de esperança e vida cheguem logo para todos”

 

O CD, que  foi lançado em live no ano passado, foi produzido por Alexandre Menezes e conta com arranjos de Jorge Cardoso, Jota Moraes, Prateado e Zé Américo Bastos. Tijolo por Tijolo é o 42º álbum de Alcione, nessa carreira sólida, longeva e de sucesso.

O álbum traz 14 músicas e uma assinatura inédita, a de Jorge Vercillo, que compôs a canção “Meu Universo”, em parceira com Zeppa. Destaque para a homenagem ao rei Pelé em “O Homem de Três Corações”, de Altay Veloso e Paulo César Feital. Além de músicas de compositores prestigiados pela cantora, como Arlindo Cruz, Telma Tavares e muitos outros.

No ano que vem, Alcione terá o prazer de ganhar um musical biográfico de Miguel Falabella. “Tinha que ser o Miguel, ele é craque”, disse a cantora, que está muito feliz com a homenagem. “Fiquei muito envaidecida”.

 

Alcione e Falabella, que se dedica agora ao Musical da Marrom

 

Vale saber também que Alcione emprestou seu nome a um bar na Barra da Tijuca (RJ) chamado “ A Casa da Marrom”. Lá ela aparece para uma canja, em geral às quintas feiras. Com o sucesso já comprovado, o Bar abre uma filial em outubro, no Catete, na Zona Sul, no mesmo sobrado neoclássico, do século XIX em que funcionou o Casarão Ameno Resedá. Claro que a inauguração terá a presença fundamental da Marrom.

CONFIRA:

“Tijolo por Tijolo”

https://www.youtube.com/watch?v=FEc6NWpUxns

 

“Você me vira a cabeça (me tira do sério)” do compositor Paulo Sergio Valle (81+)

https://www.youtube.com/watch?v=Zh-YpF3I7w8~

 

 

Sobre Alcione

Alcione Dias Nazareth nasceu em São Luís, Maranhão, no dia 21 de novembro de 1947, quarta de nove irmãos. Cantora, compositora e multi-instrumentista, é talentosa desde criança. Aprendeu, com o pai, a tocar diversos instrumentos de sopro, como o trompete e clarinete.

Professora formada, lecionou pouco tempo, mora no Rio de Janeiro desde os 19 anos, está na estrada profissional há 45 anos e já se apresentou ao mundo em 36 países. Nunca  se casou nem teve filhos.

Ainda em São Luiz, conseguiu uma vaga em um sorteio e apresentou-se na TV do Maranhão , além de cantar em bares e boates em várias cidades do seu Estado. No Rio de Janeiro,  em 1972 contou com a “força” do seu amigo, o cantor Everaldo que abriu portas em pontos noturnos como o Little Club, boate situada no conhecido Beco das Garrafas, reduto histórico do nascimento da bossa nova, em Copacabana. Cantou também em boates como Barroco, Bacarat, Holiday e Bolero.

Inscrita em programas de calouros, venceu as duas primeiras eliminatórias do programa A Grande Chance, de Flávio Cavalcanti. Depois, já na TV Excelsior conseguiu fazer um teste de voz, passou e assinou o primeiro contrato profissional  no programa Sendas do Sucesso.

Com seis meses na emissora, conquistou a oportunidade de realizar uma turnê por quatro meses pela América Latina, sua primeira saída do Brasil. Após cantar na América do Sul, fez turnê na Itália, morou na Europa por dois anos e voltou ao Brasil em 1972.

Em 2007 Alcione interpretou a cantora americana Lady Brown, na minissérie Amazônia, de Galvez a Chico Mendes, na Rede Globo. Em 2015, cantou “Juízo Final” na abertura da novela da Rede Globo, A Regra do Jogo.

Com trinta álbuns de estúdio e nove ao vivo, vendeu a marca de 8 milhões de cópias.

No Carnaval, desfilou em 1974 na Estação Primeira de Mangueira. Em 1987, participou da fundação da escola de samba mirim Mangueira do Amanhã, e hoje é presidente de honra do grupo.

Em 1989 foi homenageada pela escola de samba Independentes de Cordovil. Em 1994 foi a vez da Unidos da Ponte e em 2018, a tradicional escola de samba de São Paulo, Mocidade Alegre, homenageou seus 70 anos de vida com o enredo “A voz marrom que não deixa o samba morrer”.

Alcione já interpretou também sambas de exaltação às escolas de samba: Imperatriz Leopoldinense, União da Ilha do Governador, Beija-flor de Nilópolis e Portela.

Agregadora, Alcione adora festas, receber grupos de amigos e cozinhar. “Gosto de fazer coisas do mar. Faço uma torta de caranguejo que vocês não imaginam”, garante a Marrom na torcida para que essa pandemia acabe logo e tudo volte a ser melhor que antes.

 

___________________________

 

Fontes:

WIKIPEDIA
https://pt.wikipedia.org/wiki/Alcione_(cantora)

E-BIOGRAFIA
https://www.ebiografia.com/alcione/

ESTADÃO
https://emais.estadao.com.br/noticias/gente,alcione-e-vacinada-contra-covid-19-no-rio-vacina-sim,70003658836

https://cultura.estadao.com.br/blogs/direto-da-fonte/nunca-deixei-pra-amanha-o-que-posso-falar-hoje-diz-alcione/

Veja Rio
https://vejario.abril.com.br/programe-se/alcione-temporada-shows-bar/

https://vejario.abril.com.br/comer-e-beber/bar-alcione-filial-catete/